domingo, 18 de abril de 2010

Era divino

Esse aqui veio antes do 'Era perfeito', na verdade. Mas postei aquele primeiro porque achei pior, hahaha.
Anyway
.

~~

E lá estávamos nós, sentindo as paredes da cúpula tremerem ao som dos violinos, violoncelos e ao arder de vozes unidas num só grave tom; sobrepondo-se, matando-se e se reerguendo de cinzas douradas. Sentindo que depois de tanta ansiedade por fazer aquilo que nos mantinha vivos, conseguíamos trazer o deliciar sensível de uma melodia às pessoas que reluziam à nossa frente.

E lá estavam elas; pasmas, tomadas pelo impressionismo, com lábios entreabertos e olhos a relampejar sua indecisão em saber o que deveriam sentir diante daquele poder. Sem saber como era estar por trás das cortinas vermelhas, ouvindo tão atentamente a cada nota, com a impressão de que elas inundavam seus membros, tomavam seu coração e o moldavam a seu bel prazer, fazendo o controle se esvair e os movimentos fluidos de um ballet começarem a se criar, sozinhos.

E lá estavam eles, os passos; seguindo o ritmo, elevados, entorpecidos, exatos e descalços; exultantes, suados, belíssimos. A dança tomou meu ar atrás do vermelho barroco que me separava do resto do mundo, da razão. Ela fez a música arrancar meus pensamentos dali e soltá-los numa outra parte do infinito, cheia da mesma luz que tem o sol; e minha alma se dissipava nos seus raios quentes com cada pisar e esticar de braços, porquanto minha face era tomada pelos rubores de um sangrar de coração que palpita por sentir.

E lá estava eu; nos braços voluptuosos dos tons violentos que atravessavam o veludo a minha frente e, como uma enxurrada, invadiam meu senso; sendo empurrada pelas vozes gregorianas e temíveis, que exigiam das gotas o escorrer da minha testa em cada giro; que inebriavam, cegavam e faziam surgir sorrisos para expressar, porque a música nos engolia, todos juntos, no mesmo sentir de formas diferentes; em prantos ou risos, porque era muito para qualquer mísero e pequeno ser humano.

Era divino.


~~


1 comentários:

Steph S. R. disse...

Como eu amo esse texto, meu Deus. Mostra quão boa escritora você é, fazendo tudo perfeito nesse texto: a narração, as palavras, o sentimento. Nossa, o sentimento. Além da maneira que você nos faz recriar a cena em nossa mente, com os detalhes dados, nos fazendo realmente ver a cena. Um texto muito poderoso.

Divino mesmo, parabéns.

Love you, <3

Postar um comentário

 
Blog Template by Delicious Design Studio