sábado, 10 de setembro de 2011

Eu já disse que adoro seus olhos, não disse? Não, não é só porque eles são verdes. É a força neles. É sobre como eu me perco quando olho tão fundo para as suas pupilas dilatadas, tão fundo, que caio dentro de um abismo. É suave e pacífico, embora um tanto passional. Sinto-me sortuda demais por ter esses olhos. São meus.

Eu adoro como você me faz parar. Você fez. Você me fez parar de desacreditar. Você me fez parar para olhar. Para sentir, ao invés de correr. Para ficar ao seu lado sem precisar fazer esforço algum sobre minhas próprias expressões e sentimentos. Você me fez parar de perseguir o controle, posto este que somente a dança ocupava. Adoro como eu me descobri dentro de mim, porque eu havia me deixado lá atrás, há muito tempo, sozinha, quieta, preservada e escondida. Adoro estar de volta. Eu adoro como o gelo no meu peito derreteu, e adoro ainda mais ser preenchida pelo ar aconchegante das nossas tardes, vendo a luz do sol sobre a sua pele.

Ah, eu adoro a sua pele. Adoro tudo sobre ela. Até o seu protetor solar entra na lista. Eu adoro cada. Pedaço! Acho que você entende, espelho, espelho meu, mas eu adoro por dentro. No mais profundo, no âmago, onde não há acesso se não pela alma. Eu adoro a sua. Adoro como ela completa a minha. Adoro me sentir livre e saber que pertenço a ti onde eu estiver. Eu adoro cada cílio, as veias, eu adoro o seu sangue, porque ele é como o meu. Eu adoro a vida que há em você. Eu a sinto pulsando dentro de mim, e é como se eu carregasse o Sol dentro do meu coração.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Você, você.

All I want is the best for our lives my dear, and you know my wishes are sincere.


Você sabe que todos os meus desejos são verdadeiros, não sabe? Que eu quero ser a sua luz até que ela se apague. Não espero muito dos que estão do lado de fora, por que... Como é que eles poderiam compreender? Se eles pudessem, estaríamos no nosso mundo dos sonhos, não na realidade. E, ainda bem, estamos na realidade. É real. É sincero. É tudo o que eu sonhei, você e eu, assim. Você. Você me fazendo ser eu, assim. Não Giovana, mas Giovana Christ – muito prazer para quem está me achando diferente. Sinto-me diferente. Sinto que do fundo da minha alma floresce minha essência natural, verdadeira, coisa que eu pensava ser impossível. Há várias coisas que eu pensei serem impossíveis, mas minhas idéias estão de boca aberta agora. Não fui eu que te salvei, apenas, o senhor chegou na hora certa. E de pensar em saudade, o peito se abre num abismo, mas eu tenho a cura, hah. Eu tenho nossas lembranças, palavras, sons, cheiros, gestos, músicas. Fitas. Cores, formas e gostos. Eu tenho aquelas coisas que parecem mera frescura ou exagero para o resto do mundo, mas para mim, são tudo. Você é tudo. Você...

                                                                                                                                                           Você.

sábado, 2 de abril de 2011

Mais além

    Eu vejo a silhueta azul de algumas montanhas ao longe. Daqui, parecem colinas suaves e gigantes, num mundo distante que a fenda entre os prédios me deixa ver. O nosso mundo, tão desconhecido.
    Não tenho vontade de seguir até as montanhas, mas de seguir para qualquer outro lugar. Ter um rumo, ou vários. Conhecer paisagens, outros ares, outras cores; pessoas e idéias. Porque as divisões do mundo são uma ilusão geradora de caos, apenas - o mundo engloba tudo. É um inteiro. Somos todos parte da mesma grande coisa, e não falo de Deus. Falo desse organismo existencial que é a vida.
    E a vida anda interrompida. Não podemos mais questionar, a fé cobre tudo. Não podemos mais ter certeza, a ciência não é o bastante. Olhar para o que há dento de você sempre foi um desafio, e parece que todos estão com repulsa de desafios. Claro, passar pela Terra deste modo vegetativo e inútil já ocupa toda a sua força. Pois bem, achemos modos de mudar isso.
    Quebre preconceitos, não sobre raça e gênero, sobre a sexualidade ou o modo de viver. Sobre tudo que vem além disso. Dogmas bem escondidos, cegueira geral. Sobre os sentimentos tabém, talvez. Há uma defesa pessoal quase obrigatória que nos faz desistir de sentir, mas ora essa, fomos feitos para isso ou não? Abra a cabeça, abra os olhos e os deixe ver. Veja por dentro, e por fora. Fareje seus instintos. Utilize o amor que há dentro de você. Entre em sintonia com o silêncio, a canção natural da vida. Conheça, descubra, aprenda sobre seu interior, sobre o ritmo que carrega no coração. Depois disso, ser feliz é consequência, e espalhar luz é consequência da felicidade. Não vem com esforço, vem espontâneamente. Isso sim é viver.


"As they took his soul, they stole his pride..."
Não deixe que levem sua alma.
"...As he faced the sun, he cast no shadow."
E deixe suas sombras partirem silenciosamente enquanto você renasce de novo, e de novo, sem feridas ou medos. Por você mesmo.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Ser ou infinito?

Existem dias onde eu sei bem quem sou. Depois eu leio uma coisa, observo outra, reorganizo fatos e memórias. E quando vejo já sou outra, melhorzinha. E vai indo. Mas daí eu percebi que não rola ser algo, e ponto, fim. Você não pode ser algo, apenas.

Você infinito algo.

Só às vezes

é tão melhor ficar sozinha. Não que seja de verdade, mas dá menos trabalho e eu sou preguiçosa.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Depois de milênios

    ... Sinto informar que ainda não tenho o que dizer aqui. Na verdade até tenho, mas a preguiça me dominou.
    Vejamos, o que andou rolando?
    Andou rolando muita coisa. Aprendi um monte sobre eu mesma, e sobre as pessoas. Separei umas paradas, finalizei uns processos. Tive decepções construtivas e bem vindas, realizei que não sou de pedra e nem adianta eu querer ser. Sei lá.
    Acho que se todo mundo observasse um pouco mais a si mesmo e parasse pra pensar ao invés de simplesmente reagir a tudo e a todos como se fosse o centro do universo, o mundo seria melhor e mais racional. Porque né, o ser humano? Racional? HOHOHO E eu sou o Papai Noel, criançada.

ME WANT A DOG 'O'
   
 
Blog Template by Delicious Design Studio